Banda Candiera

Banda Candiera

Ô Sorte

Esta caminhada inicia-se em meados de 2006 na cidade das “esquinas de duras poesias concretas”, São Paulo. Nada poderia ser mais sorte do que a banda formar-se em tal local, porém por cidadãos recém-chegados das Minas Gerais, e o mais intrigante, que pouco ou nada se conheciam. Inciam-se os ensaios junto o desejo de mostrar toda a potência da sonoridade brasileira neste trabalho, com a clara intenção de explorar o swing e a ginga genuínos de nossa música tupiniquim.

Assim começa a ser escrita a história da Candiera, nome dado como alusão aos candeeiros típicos da terra de Tiradentes. Os shows se iniciam e com eles, cada vez mais a Candiera mostra sua força, despontando intensa e pulsante, com a presença e a interação marcante com o público. As influências e a heterogenidade de seus integrantes são os temperos essenciais para se entender o efeito Candiera, principalmente ao vivo.

Basta juntar vocais influenciados por maracatu, samba e hip hop, uma guitarra com batidas samba-rock remetendo aos ícones do estilo e uma cozinha marcada por conduzir todo o engenho com a brasilidade percussiva, aliada à mais apurada técnica do funk, soul e, por que não, do Jazz.
Em busca de novos objetivos, o time se firma em 2010 com a entrada dos irmãos Gabriel (baixo) e Fernando Penteado (guitarra) junto aos integrantes e membros fundadores da banda e Daniel "Bongman" Cavalcante (vocais), gravando o DVD “Candiera SoulPopSambaRock Ao Vivo” na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais.
Ainda hoje este DVD é muito bem aceito pelo público presente nos shows, e não é raro vê-lo exibido nos telões das casas onde a trupe se apresenta, como um “esquenta” para as apresentações.

Como tudo pode ficar ainda melhor, a família recebe mais um integrante em 2012: Lucas Decat assume a percussão, fazendo com que a Candiera aprimore seu estilo, tornando-se ainda mais swingado e dançante. Há sempre uma certeza quando Candiera sobe no palco: Não há qualquer possibilidade de se ficar parado!
Atualmente a banda é uma referência sonora nos eventos mais destacados do Sul de Minas, dividindo palco com referências nacionais, atuando com força nas noites paulistanas e cariocas, voltadas à autêntica musicalidade brasileira.

Salve swing, salve a música brasileira... “ Que boa fatalidade ser herdeiro de Minas”! Ô Sorte...